You are here
Home > Opinião > Brasil: campeão mundial de violência

Brasil: campeão mundial de violência

Segundo o Relatório Global de homicídios de 2013, publicado este ano pela ONU, o Brasil tem apenas 2,8% da população mundial, mas responde sozinho por cerca de 11,4% dos homicídios ocorridos no Planeta. Hoje, é mais provável que um brasileiro seja assassinado em território nacional do que um iraquiano o seja em meio a guerra Civil do país. Um número assustador que fazemos questão de ignorar, mas reflete o quão degradada está nossa sociedade .

A parte boa é que, segundo os dados da ONU, há hoje uma certa estabilidade em relação aos números dos relatórios anteriores, o que nos dá alguma esperança de melhoria no futuro.

Em termos gerais, o relatório mostra que a melhora mais expressiva nos números, ocorreu no Pará do governador Simão Jatene (PSDB). Mas os analistas da organização destacam os estados do Rio de Janeiro, de Eduardo Paes (PMDB), e São Paulo, de Geraldo Alckmin (PSDB), como os principais responsáveis por esta manutenção. São Paulo recebe esta menção por sua grande população, por ter uma das menores taxas de homicídios do país e ainda assim sustentar melhora nos números. O Rio de Janeiro por sua grande população, associada a uma expressiva melhora dos índices. Melhora que o relatório atribui à prevenção e à implementação das UPPs.

Para os analistas da ONU o grande vilão da violência no país foi o Nordeste. Nesta região, o único estado que apresentou redução nos números da violência, foi Pernambuco, governado pelo presidenciável Eduardo Campos (PSB). Neste estado a melhora foi significativa. Entretanto, todos os demais estados do nordeste, têm apresentado aumento expressivo da violência que compensa as melhoras apresentadas em outros estados. Os grandes destaques NEGATIVOS do relatório vão para a para a Paraíba do governador Ricardo Coutinho (PSB) e para a Bahia do governador Jaques Wagner (PT), estados cujo número de homicídios já é alto e a piora nos números da violência foi expressiva.

É uma questão para se pensar não? O que podemos fazer para melhorar os números da violência em nosso país? Pelas ações dos estados que têm sido bem sucedidos, tudo leva a crer que um pesado trabalho preventivo e acabar com a “certeza da impunidade”, podem ser passos importantes para solução deste grave problema que assola o país.

Leonardo Augusto Amaral Terra
Leonardo Augusto Amaral Terra
Mestre e Doutor em ciências pelo programa de Administração de Organizações da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, na Universidade de São Paulo (FEARP - USP). Possui MBA executivo em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas e Graduação em Administração de Empresas pela FEARP - USP. Atua como professor, pesquisador e consultor na área de estratégia e desenvolvimento organizacional, explorando os princípios que regem os sistemas socioeconômicos por meio da matemática do caos e da epistemologia sistêmica e suas aplicações no processo estratégico e nas interações sistêmicas das organizações. Vencedor do West Churchman Memorial Prize em 2014.
http://lattes.cnpq.br/3022429953017645
Top