You are here
Home > Opinião > A insustentável leveza dos programas do MEC

A insustentável leveza dos programas do MEC

O que acontece quando você oferece um volume de vouchers e financiamento estudantil que você não consegue sustentar?

Em primeiro lugar, você favorece o sucesso de instituições que não conseguiriam sobreviver e inunda o mercado dessas estruturas despreparadas, normalmente mantidas por capital político e não por competência. Este processo, praticamente inviabiliza o surgimento de instituições competentes para absorver a demanda, porque a competitividade depende mais do acesso aos programas de vouchers e financiamento, do que da qualidade ofertada.

Após um tempo, o que você tem é um apanhado de escolas mal geridas, altamente dependentes de programas sociais. Milhares de pessoas, normalmente despreparadas, migram suas carreiras para a docência para preencher essa lacuna. 

Quando descobre que o programa é insustentável, porque faltam recursos para sua manutenção, o governo é obrigado a voltar atrás. Milhares de instituições ineficientes entram em colapso, milhares de profissionais que mudaram de carreira ficam sem emprego e forçam a deterioração da carreira por excesso de oferta. Alunos ficam fora dos programas no meio do curso… Para ajudar, ainda descobre-se que para o mercado a maior parte dos diplomas ofertados por essas instituições que só existem pelo FIES e PROUNI, não possuem valor algum.

No fim, o programa que parecia uma grande obra, se mostra uma falha grosseria que não permitiu o correto desenvolvimento do mercado educacional, está quebrando as faculdades (mesmo as sérias) e colocou nas ruas, profissionais com formação sofrível, muitas vezes inferior à de ensino médio. Assim é a vida de países que só pensam no curto prazo, sem analisar as consequências de longo prazo. Passam a sua história tentando sustentar a insustentável leveza da incompetência.

Leonardo Augusto Amaral Terra
Leonardo Augusto Amaral Terra
Mestre e Doutor em ciências pelo programa de Administração de Organizações da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, na Universidade de São Paulo (FEARP - USP). Possui MBA executivo em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas e Graduação em Administração de Empresas pela FEARP - USP. Atua como professor, pesquisador e consultor na área de estratégia e desenvolvimento organizacional, explorando os princípios que regem os sistemas socioeconômicos por meio da matemática do caos e da epistemologia sistêmica e suas aplicações no processo estratégico e nas interações sistêmicas das organizações. Vencedor do West Churchman Memorial Prize em 2014.
http://lattes.cnpq.br/3022429953017645
Top